VOCÊ SABE A DIFERENÇA ENTRE VEGANISMO PRAGMÁTICO E ABOLICIONISTA?

Já falamos aqui sobre OS DIFERENTES TIPOS DE VEGETARIANISMO. Agora, você sabia que também existe mais de um tipo de VEGANISMO? Vem que a gente te explica: 

veganismo, segundo definição da Vegan Society, é um modo de viver (ou poderíamos chamar apenas de "escolha") que busca excluir, na medida do possível e praticável, todas as formas de exploração e crueldade contra os animais - seja na alimentação, no vestuário ou em outras esferas do consumo. Apesar do objetivo final ser o mesmo (o fim da exploração animal), os veganos se dividem em dois grupos com métodos diferentes para colocar suas ideias em prática: os pragmáticos e os abolicionistas.

 

VEGANISMO ABOLICIONISTA

É o veganismo que mais ouvimos falar por aí. Sabe quando dizem "veganismo vai muito além de não ter ingredientes de origem animal, se vê todo contexto de exploração da empresa" - na verdade, esse é especificamente o veganismo abolicionista. Além de não poder ter ingredientes de origem animal e, no caso de cosméticos, não ser envolvido em testes, eles estão sempre atentos a tudo que envolve a marca, como: se a empresa ou a marca mãe (dona do grupo o qual a empresa pertence) patrocina enventos de exploração, como rodeios, ou ainda se é de uma grande indústria que vende carne/laticínios em grande escala. Abolicionistas não acreditam no fim da exploração de forma total: o abolicionismo é integral, idealista, intransigente e tem caráter radical-revolucionário - o pensamento é: reformas tendem a estagnar a busca pelo ideal. 

O vegano abolicionista acredita no boicote e não acredita em grandes empresas que incluem produtos "plant based". Nesta linha do veganismo, não se compra de uma Seara, por exemplo, pois acreditam que está se financiando a exploração, que o objetivo da empresa é apenas lucrar e que o veganismo/ os animais não ganham nada com a inclusão de produtos sem origem animal na empresa.

Se você acredita nessa linha do veganismo, existe uma série de portais para te ajudar a descobrir se uma empresa está apta para consumo ou não: VegPediaAri VeganPortal Vista-se.

 

VEGANISMO PRAGMÁTICO 

Enquanto o abolicionista não compra de empresas que financiam a exploração de qualquer forma ou grau, o pragmático olha apenas para o produto em si. Isso não por desejar menos o fim da exploração, mas por enxergar diferente a forma de chegar nela. O pragmático acredita que a ascenção de produtos veganos em empresas tradicionalmente de carne/laticínios, é um avanço, que o mercado crescre e que ganha notoriedade. Ele acredita que no futuro, isso possa vir a ser o fim da exploração.

Além disso, o veganismo pragmático é mais suscetível a ganhar apoio político, uma vez que não vai totalmente contra as grande empresas. A Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) é uma ONG pragmática que já conquistou muito espaço dentro de iniciativas públicas e privadas com projetos como Segunda Sem Carne e Se você ama um por que come o outro. Isso dificilmente se conseguiria por abolicionistas, já que grandes empresas são vistas normalmente como rivais. 

 

Por mais que sejam linhas diferentes, os dois veganismos querem chegar no mesmo lugar. Sempre juntos pelo fim da exploração animal!

 

Texto escrito por Vegalizai