UMA DIETA VEGANA COM BAIXO TEOR DE GORDURA CONTRIBUI PARA PREVENÇÃO DE DIABETES TIPO 2 E MANUTENÇÃO DO PESO

O sobrepeso e as doenças associadas, particularmente o diabetes tipo 2 e a síndrome metabólica, representam desafios à humanidade em nível global. Há uma necessidade urgente de intervenções dietéticas para resolver esses problemas, que crescem a cada dia mais. Estudos mostraram que pessoas que seguem uma dieta vegana têm concentrações mais baixas de lipídios em comparação com aquelas que seguem dietas onívoras.

 

Leia também: SEGUIR UMA DIETA À BASE DE PLANTAS NÃO COMPROMETE SUA SAÚDE ÓSSEA

 

Tentando compreender um pouco mais sobre tais efeitos, um estudo randomizado avaliou, durante 16 semanas, 244 participantes com idades entre 25-75 anos e com IMC (índice de massa corporal) de 25-40. Os participantes foram divididos em dois grupos: o grupo controle que continuou com a dieta habitual sem nenhuma alteração e o grupo de intervenção que seguiu uma dieta vegana com baixo teor de gordura. O objetivo foi avaliar se a dieta vegana com baixo teor de gordura interfere no peso corporal, na resistência à insulina, no metabolismo pós-prandial e nos níveis de lipídios em adultos com sobrepeso.

A dieta do grupo de intervenção era composta por vegetais, grãos, legumes e frutas e sem produtos de origem animal ou gorduras adicionadas, com a seguinte distribuição de macronutrientes: 75% de energia proveniente de carboidratos, 15% de proteína e 10% de gordura. Além da dieta, a vitamina B12 foi suplementada (500 μg/d). Os resultados mostraram que o grupo que seguiu uma alimentação vegana reduziu seu peso corporal em média em torno de 6,4kg e a gordura do fígado e nas células musculares em 34% e 10%, respectivamente. Essas alterações foram atribuídas a uma redução na gordura corporal, conforme observado por diminuições significativas na massa de gordura e no volume de gordura visceral. Os níveis de colesterol total e de LDL também diminuíram e o metabolismo após as refeições aumentou em 18,7%. E a diminuição da gordura hepática e muscular foram correlacionadas com melhorias na resistência à insulina. Já no grupo controle nenhuma dessas variáveis mudou significativamente ao longo das 16 semanas.

Como esperado, o grupo vegano teve a maior ingestão de carboidratos e fibras, enquanto a ingestão de gordura, proteína e colesterol foi menor. E no grupo controle esses valores não apresentaram significativas mudanças. É importante destacar que os participantes dos dois grupos não foram solicitados a restringir a ingestão de calorias e podiam comer o quanto quisessem. Essas descobertas estão de acordo com estudos anteriores que mostraram que uma dieta baseada em vegetais reduz naturalmente a ingestão de calorias, aumenta a ingestão de fibras, reduz o peso e a resistência à insulina e diminui o acúmulo de gordura nas células. Todos esses são mecanismos essenciais pelos quais as doenças crônicas podem ser evitadas. Uma dieta com baixo teor de gordura a base de plantas pode ser uma ferramenta eficaz para reduzir o peso corporal e aumentar a sensibilidade à insulina e o metabolismo pós-prandial.

 

Texto escrito por Ale Luglio, nutricionista especializada em nutrição vegetariana.

 

Referência: Kahleova, H et al. Effect of a Low-Fat Vegan Diet on BodyWeight, Insulin Sensitivity, Postprandial Metabolism, and Intramyocellular and Hepatocellular Lipid Levels in Overweight Adults. JAMA Network Open. 2020; 3(11)