MOTHER SCIENCE: TESTOSTERONA E A DIETA PLANT BASED

A testosterona é o principal hormônio masculino e é responsável pelo desenvolvimento e manutenção das características sexuais masculinas. A produção de testosterona ocorre nos testículos e tem como matéria-prima o colesterol, um tipo de gordura que exerce diversas funções no organismo e pode ser obtido através do consumo de produtos de origem animal ou sintetizado pelo próprio fígado. Em virtude da completa ausência de colesterol numa dieta vegetariana estrita (e do seu, em geral, mais baixo consumo em alguns tipos de dietas vegetarianas), muito se especula que os homens que não consomem carne possam ter níveis de testosterona mais baixa. O estudo sobre o qual vamos falar hoje procurou investigar exatamente isto.

Objetivo do estudo

Avaliar a associação entre o conteúdo de uma dieta plant-based e os níveis de testosterona de homens constantes do banco de dados do programa de pesquisa NHANES1.

Metodologia

Foram coletados os dados demográficos, os recordatórios de frequência alimentar e os níveis de testosterona de 191 homens que possuíam todos as informações necessárias registradas, com idades entre 18 e 75 anos. As informações dos questionários de frequência alimentar foram categorizadas de acordo com um índice (hPDI) criado para medir a qualidade da dieta, baseado no seu conteúdo de alimentos de origem vegetal considerados saudáveis, alimentos de origem vegetal considerados como não saudáveis e alimentos de origem animal. Foi investigado se o consumo de algum dos 17 grupos dentro dos quais os alimentos foram categorizados teria correlação com níveis mais altos ou baixos de testosterona.

Resultados

Os 191 homens analisados tinham uma idade média de 45 anos, IMC 28 (peso normal para a altura) e testosterona média de 546,7 ng/dL (a referência é de 300-1.000 ng/dL, sendo que valores abaixo de 300 ng/dL são considerados como deficientes pela Associação Americana de Urologia). Não houve correlação significativa entre o consumo de nenhum dos grupos alimentares e os níveis de testosterona, bem como a qualidade da dieta, medida pelo mencionado índice hPDI, também não foi capaz de afetar os níveis de testosterona. O aumento da idade e do IMC afetaram negativamente os níveis de testosterona.

Conclusão

Os autores concluem da seguinte forma: “Nossos achados sugerem que não existe associação entre o conteúdo de alimentos de origem vegetal da dieta e os níveis séricos de testosterona” e afirmam que “Sendo a dieta um fator importante da saúde dos pacientes, é importante entender as implicações de diferentes dietas e hábitos de vida. Neste caso, fica reassegurado que adotar uma dieta à base de plantas não afeta negativamente os níveis de testosterona e os médicos podem aconselhar seus pacientes sobre isso. Isto é especialmente importante para aqueles que desejam optar por este tipo de alimentação como forma de reduzir os riscos de morbidade cardiovascular, obesidade, diabetes tipo 2, câncer e doenças coronarianas, mas que tem receio de ter sua saúde sexual afetada.”.

Comentários

O resultado deste estudo não é, de forma alguma, surpreendente. Conforme já mencionado, nosso corpo é capaz de produzir todo o colesterol que necessita e, a partir dele, a testosterona. É interessante notar, entretanto, que a qualidade da dieta parece não ser significativa para afetar os níveis deste hormônio, enquanto o excesso de peso sim, conforme também apontam os estudiosos e já é de amplo conhecimento. Curiosamente, existe um grande medo dos pacientes e de alguns profissionais em relação a adoção de uma dieta à base de plantas, atrelado a ideia de que isto reduziria os níveis de testosterona, quando, na verdade, este tipo de dieta pode auxiliar na perda de peso, conforme demonstram diversos outros estudos, e, desta forma, contribuir para o aumento dos níveis de testosterona.

A publicação deste tipo de estudo é importante pois transmite segurança para que, cada vez mais, profissionais de saúde e pacientes considerem uma alimentação vegetariana como uma alternativa viável, segura e capaz de contribuir para a melhora da saúde como um todo (além, é claro, de poupar os animais e nosso local de treino favorito – a natureza).

Um forte abraço e bons treinos. Comam seus vegetais!

Filipe.

FILIPE TESTONI é nutricionista, especialista em Nutrição Vegetariana.

1O National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) é um programa de pesquisa conduzido pelo National Center for Health Statistics para avaliar a saúde e o estado nutricional de adultos e crianças nos Estados Unidos e para acompanhar as mudanças ao longo do tempo.

Referência:

KUCHAKULLA, Manish; NACKEERAN, Sirpi; BLACHMAN-BRAUN, Ruben; RAMASAMY, Ranjith. The association between plant-based content in diet and testosterone levels in US adults. World Journal Of Urology, [S.L.], p. 1-5, 28 maio 2020. Springer Science and Business Media LLC. http://dx.doi.org/10.1007/s00345-020-03276-y.