COMO UMA DIETA WFPB AFETA A SAÚDE DA PELE

Se você busca uma pele mais saudável, bem cuidada e com um brilho natural que deixa a aparência muito mais bonita, saiba que consumir alimentos de origem vegetal é vital. Quando se fala em rotina de cuidados com a pele, o que você coloca no prato tem mais impacto na saúde dela do que os tratamentos estéticos. Existem vários estudos que vinculam a pele aos hábitos alimentares e que identificaram certos padrões alimentares, tipos de alimentos, nutrientes e compostos que estão associados a uma pele mais jovem. 

 

Leia também: VEGETARIANOS TÊM UM IMC MAIS BAIXO

 

Para quem busca uma pele mais saudável, há 3 pilares essenciais que devem ser seguidos. O primeiro é consumir mais alimentos com alta densidade nutritiva, ou seja, alimentos naturalmente ricos em nutrientes como antioxidante e compostos bioativos. O segundo é fazer refeições nutritivas e equilibradas que evitem o aumento rápido e súbito dos níveis de açúcar no sangue. O terceiro é garantir o teor adequedo de proteínas da dieta uma vez que o colágeno, que são estruturas proteicas que sustentam a pele, é sintetizado a partir dos aminoácidos provenientes das proteínas que consumimos através dos alimentos. Estudos são categóricos em dizer que uma dieta balanceada a base de plantas #plantbasediet que atinja as calorias diárias necessárias garante com segurança o aporte necessário de proteínas, energia e micronutrientes garantindo assim, toda condição e a “matéria-prima” para que nosso corpo sintetize o próprio colágeno., O quarto e não menos importante e que, aliás, muitas vezes passa desapercebido, é “parar de sabotar sua pele”, evitando açúcares adicionados, alimentos fritos e/ou gordurosos e altamente processados que podem causar danos ao colágeno e promover o envelhecimento prematuro da pele.

Há três grandes processos bioquímicos que aceleram o seu envelhecimento: oxidação, inflamação crônica e glicação. A oxidação é um processo que produz radicais livres, que são moléculas instáveis ​​que causam danos às proteínas, lipídios e até ao DNA na pele e são combatidos pelos antioxidantes que são elementos abundantes nos alimentos vegetais coloridos. Já a inflamação crônica é, essencialmente, o sistema de defesa do corpo que sai do controle sendo esta comprovadamente ligada ao consumo frequente de gorduras saturadas presentes prioritariamente nos alimentos de origem animal. E a glicação ocorre quando as moléculas de açúcar se ligam às proteínas do corpo e criam novos compostos chamados AGEs (produtos finais de glicação avançada). Os AGEs são conhecidos por suas propriedades prejudiciais ao colágeno.

Alguns alimentos podem ajudar a reduzir e combater os efeitos nocivos desses processos, enquanto os alimentos errados irão acentuá-los. O aumento do consumo de alimentos integrais, não processados e com alta densidade nutritiva é o segredo, pois fornecerão uma grande reserva de nutrientes essenciais que minimizarão o processo de envelhecimento celular. Em outras palavras, se deseja manter uma pele saudável e brilhante, comer vegetais é fundamental. Sendo assim, atente-se e inclua na sua rotina alimentar as seguintes recomendações:

 

- Alimentos naturalmente ricos em antioxidantes, especialmente frutas e vegetais coloridos. 

- Ervas e especiarias pois são fontes poderosas e concentradas de antioxidante, anti-inflamatório e anti-glicação. 

- Alimentos fontes de carboidratos e gorduras saudáveis, de forma equilibrada, que fornecerão fitonutrientes, antioxidantes e energia.

- Alimentos prebióticos e probióticos para ajudaram na saúde intestinal, preservando a microbiota e, consequentemente, uma melhor absorção de nutrientes.

- Refeições que combinem alimentos fontes de carboidratos e proteínas fontes de fibras, cereais integrais e metade do prato com folhas e legumes. Não se esqueça de pelo menos incluir 3 porções de frutas variadas no seu dia a dia.

 

Cuidar do todo é cuidar da pele. Da saúde e do planeta. Tudo junto é muito mais efetivo, simples e delicioso!

 

Texto escrito por: Ale Luglio, nutricionista especializada em nutrição vegetariana.


Texto baseado nos relatos do Dr. Rajani Katta membro do comitê de médicos que fazem parte do Plantricians Project (https://plantricianproject.org)

 

Voltar para o blog