AFINAL, PROTEÍNAS O QUE SÃO? COMO VIVEM? PARA QUE SERVE?

Você sabia que no reino vegetal tem proteínas de sobra? Vamos explicar isso melhor: as proteínas são formadas por aminoácidos, essenciais e não essenciais. Os essenciais precisam ser, obrigatoriamente, consumidos através da dieta, já que nosso corpo não os produz. E, aí, é que está a melhor parte, pois quem sintetiza, ou seja, fabrica esses aminoácidos são exatamente e exclusivamente as plantas! Os animais comem plantas e acumulam aminoácidos essenciais, não os produzem. Assim, podemos dizer que as proteínas são como paredes de tijolos e os tijolos são justamente os aminoácidos, sendo encontrado em abundância no reino vegetal.

Agora que já entendemos que as proteínas são formadas por aminoácidos, qual seria a importância delas no dia a dia? As proteínas são essenciais para o desenvolvimento adequado e manutenção da nossa saúde, pois são os principais componentes estruturais e funcionais das células do nosso organismo, participando da construção de órgãos, pele, anticorpos e, principalmente, da massa muscular.

 

Leia também: Saúde e Higiene na Cozinha

 

Durante algum tempo, as proteínas de origem vegetal foram ignoradas e menosprezadas, pois elas eram avaliadas pelo “tal valor biológico”, que, felizmente a ciência comprova não ser mais a forma correta de avaliação. Outro método de avaliar a “qualidade” das proteínas surgiu em 1989, o chamado de PDCAA (Protein digestibility-corrected amino acid score – traduzido: Digestibilidade de Proteínas Corrigida para Escore de Aminoácidos) as avalia de forma isolada e pela sua capacidade de fornecer aminoácidos nas quantidades necessárias também está ultrapassado. Estamos em 2020, né? De lá pra cá, sabemos que a ciência evoluiu e esse tipo de análise começou a apresentar deficiências. Hoje, os aminoácidos devem ser tratados e avaliados como nutrientes individuais, para que seja possível entender as quantidades de aminoácidos digeridos e biodisponíveis nos alimentos e nas proteínas. Por isso, o método recomendado e mais utilizado para avaliação das proteínas é o DIAAS (Digestible Indispensable Amino Acid Score) que significa “Escore de Aminoácidos Indispensáveis Digestíveis” recomendada pela FAO/OMS.

E afinal, o que tudo isso significa na prática? Que todos os aminoácidos estão presentes na natureza e nos alimentos de origem vegetal, em alguns em maiores e em outros em menores quantidades. Atingir a meta diária de proteínas é bem mais simples do que parece, pois para obter todos os tipos de aminoácidos essenciais, o segredo é combinar e variar bem os alimentos. Alguns grupos alimentares apresentam maior concentração de aminoácidos e teor de proteínas, como as leguminosas, os cereais integrais e as sementes. Ao incluir esses alimentos diariamente em suas refeições, não haverá mais necessidade de se preocupar com suas proteínas pois além da presença de todos os aminoácidos essenciais, o consumo desses alimentos garantirá a quantidade adequada e suficiente desse nutriente: sem carências e nem excessos!

Uma curiosidade um tanto indigesta: Atualmente vemos mais pessoas adoecerem e morrerem por excesso de consumo de nutrientes (proteínas, gorduras e carboidratos refinados) do que carência. Alimentos fontes de proteínas animais não são somente fonte de proteínas e sim de gorduras saturadas e colesterol, além de todos os contaminantes que os animais da pecuária intensiva entram em contato e acumulam em seus tecidos ao longo da vida. Enfim, a saúde está na qualidade do que se consumimos, sem excessos e sem carências. Excessos leva à inflamação, carências, à desnutrição!

 

Texto escrito por: Ale Luglio

 

Voltar para o blog