DOSSIÊ: A VERDADE SOBRE A VITAMINA B12

Ainda que o metabolismo da Vitamina B12 seja complexo e que a própria ciência ainda não tenha definido a melhor forma de se dosar os níveis dessa vitamina no organismo para atestar ou não sua deficiência, é bastante conhecido o fato de que vegetarianos estritos (veganos) devem, obrigatoriamente, suplementar esta vitamina. Mas, será que isto é verdade? Existe alguma outra alternativa? E os ovolactovegetarianos, conseguem obter o suficiente através da alimentação? O objetivo deste texto é esclarecer esta e outras questões e acabar com as suas dúvidas relacionadas a esta vitamina tão importante.

Antes de mais nada, é importante saber qual a função desta vitamina a fim de compreender as consequências de sua deficiência. A vitamina B12, também chamada de cobalamina, é uma vitamina solúvel em água que exerce um importante papel na manutenção da estrutura do sistema nervoso e na manutenção das células do sangue – por isso sua deficiência pode causar sintomas neurológicos, psiquiátricos e um tipo específico de anemia, chamada megaloblástica.

São as bactérias quem produzem a vitamina B12, e as plantas não possuem e não precisam dela para sobreviver (por isso não encontramos a B12 nos vegetais). Os herbívoros, por sua vez, obtêm a B12 por meio da própria microbiota intestinal, que as produz em abundância, ou quando comem plantas contaminadas com fezes, suas ou de outros animais. Já os carnívoros a obtém dos insetos e de outros animais e, às vezes, consumindo as fezes e o conteúdo intestinal das suas presas. Por fim, os humanos consomem B12 a partir de tecidos animais (carnes), onde essa vitamina se encontra concentrada.

 

Leia também: Guia prático de óleos para cozinhar.

 

Sabendo disso, já podemos responder as perguntas lá do início: os vegetarianos estritos realmente precisam suplementar a vitamina B12, pois é impossível obtê-la das plantas, e os demais vegetarianos (independentemente do tipo) precisam realizar um exame de sangue para verificar se a suplementação é necessária ou não – da mesma forma que os indivíduos que comem carne, pois, como veremos a seguir, a deficiência de B12 está tão relacionada à sua baixa ingestão quanto a sua má absorção.

Causas da deficiência de Vitamina B12

A deficiência de vitamina B12 geralmente ocorre por má absorção, causada por diferentes fatores como: redução da produção de ácido gástrico, inadequada produção de fator intrínseco, gastrite atrófica, interferências na absorção da vitamina no íleo terminal e interação entre drogas e nutrientes. Na prática, estão em maior risco pessoas acima de 50 anos, indivíduos que utilizam medicações que inibem a bomba de prótons (todos os “prazóis”) ou que passaram por cirurgia de redução do estômago ou retirada de alguma parte do intestino.

Além de questões relacionadas à má absorção, a deficiência pode ocorrer em virtude de uma destruição autoimune do fator intrínseco (fundamental para a absorção da vitamina), causando uma condição chamada de anemia perniciosa, e de fatores genéticos menos comuns. Para os vegetarianos, a causa mais comum é a falta de ingestão, que quando associada a um ou mais fatores mencionados acima aumenta ainda mais o risco de deficiência.

Atenção: não acredite nas afirmações de só é necessário se preocupar com a deficiência de vitamina B12 de três a cinco anos após deixar de comer carne pois, como vimos, a deficiência pode ocorrer em virtude de diferentes causas.

Sintomas de deficiência

Como já mencionado, o diagnóstico da deficiência de vitamina B12 não pode ser feito através da simples avaliação dos seus níveis no sangue e a ciência ainda avalia qual a melhor forma de fazê-lo. A deficiência ocorre em quatro estágios e os compostos alterados nos dois primeiros estágios só podem ser dosados em laboratórios muito especializados. No terceiro estágio é possível se identificar os compostos alterados através de exames mais comuns, que indicam uma deficiência já avançada, e somente no quarto estágio é que são vistas alterações no hemograma. Assim, considera-se a existência de uma deficiência subclínica.

Os sintomas mais comuns da deficiência de vitamina B12 são a dificuldade de manter a atividade intelectual (queixas relacionadas à falta de atenção e memória) e o formigamento das pernas ao cruzá-las. Deve-se estar atento, entretanto, pois muitas pessoas assintomáticas já podem estar sofrendo consequências sobre sua saúde cardiovascular e cerebral, o funcionamento da tireoide e do fígado e a glicemia.

Na gestação e na infância a suficiente ingestão de vitamina B12 é especialmente importante e, em hipótese alguma, gestantes e bebês vegetarianos podem deixar de ter seus níveis avaliados por um profissional.

Tratamento: existe alguma alternativa à suplementação?

Para os vegetarianos estritos, não. Alguns alimentos são apontados como fontes de vitamina B12 vegetal, como diferentes tipos de algas, cogumelos e alimentos fermentados como missô, tempê e outros, mas, infelizmente, a verdade é que as quantidades são insuficientes ou a vitamina encontrada é uma forma análoga a B12, que não exerce sua função verdadeira no organismo. Há uma esperança de que se possa ter encontrado formas ativas de vitamina B12 em lentilhas da água, como você pode ler neste post do blog , mas mais testes ainda precisam ser feitos. Comer vegetais sem higienizá-los, como por vezes é sugerido, definitivamente não é recomendado pois os além dos riscos desta prática, não há comprovação de que vitamina B12 suficiente seria fornecida.

Esta obrigatoriedade de suplementação não significa que uma alimentação vegetariana estrita não seja adequada para o ser humano, pois todas as formas de se alimentar exigem a suplementação de algum nutriente em diferentes fases da vida. Crianças onívoras recebem vitamina K ao nascer e depois ferro, vitamina A e D (mesmo comendo carnes). Para as gestantes são recomendados ácido fólico, ferro, multivitamínicos e outros minerais. A farinha de trigo é enriquecida com ácido fólico e o sal de cozinha com iodo – todas medidas para contornar deficiências encontradas em todas as populações.

A suplementação de vitamina B12 pode se dar através da fortificação de alimentos ou em diversas formas farmacêuticas: cápsulas, comprimidos, tabletes, gotas e injeções. A melhor forma e a quantidade adequada devem ser avaliadas e prescritas por um nutricionista ou médico competente e não deve ser feita por iniciativa própria. O excesso de vitamina B12 pode interferir no metabolismo do ferro e do ácido fólico (causando outros tipos de problemas), além causar acne em algumas pessoas.

Conclusão

A suplementação de vitamina B12 é uma necessidade real de todos os vegetarianos estritos, mas outros tipos de vegetarianos e mesmo pessoas que comem carne devem estar atentas à sua deficiência, em especial idosos, gestantes e crianças. A avaliação da necessidade de suplementação, bem como sua melhor forma e doses, deve ser feita por um profissional – lembre-se que nem sempre os sintomas são aparentes e que as consequências de sua deficiência podem ser graves, mas sua correção é rápida e fácil quando diagnosticada no início.

 

Referências:

  1. Ankar A, Kumar A. Vitamin B12 Deficiency (Cobalamin) [Updated 2019 Jan 11]. In: StatPearls [Internet]. Treasure Island (FL): StatPearls Publishing; 2020 Jan-. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK441923/
  2. O’LEARY, Fiona; SAMMAN, Samir. Vitamin B12 in Health and Disease. Nutrients, [s.l.], v. 2, n. 3, p. 299-316, 5 mar. 2010. MDPI AG. http://dx.doi.org/10.3390/nu2030299.
  3. SLYWITCH, Eric. Alimentação sem carne: guia prático : o primeiro livro brasileiro que ensina como montar sua dieta vegetariana.2. ed. rev. São Paulo : Ed. Alimentação sem Carne, 2008. 112 p, il.

 

Escrito por: FILIPE TESTONI, nutricionista e especialista em Nutrição Vegetariana.

 

Voltar para o Blog.