0

Seu carrinho está vazio

Revisão Sistemática: benefícios da suplementação de creatina para vegetarianos comparado com atletas onívoros

julho 05, 2021

Uma revisão sistemática teve como  critério ensaios clínicos randomizados (grupos paralelos, estudos cruzados) ou estudos prospectivos. Um total de 64 registros foram identificados e onze artigos (cobrindo nove estudos) foram incluídos nesta revisão.

O objetivo foi determinar os efeitos de suplementação de creatina em vegetarianos comparado aos onívoros.

A creatina é um suplemento nutricional frequentemente consumido por atletas que praticam esportes anaeróbicos. Ela é encontrada naturalmente na maioria dos produtos derivados de animais, portanto, os vegetarianos possuem seus estoques reduzidos e podem se beneficiar da suplementação.

 

Leia também CREATINA: PERGUNTAS E RESPOSTAS

 

A maioria dos dados de revisões, indicam que, a suplementação é benéfica para aumentar a força corporal, desempenho em atividades anaeróbicas de alta intensidade, massa muscular e recuperação do exercício, no entanto, a suplementação de creatina é ineficiente para melhorar o desempenho do exercício aeróbio.

Aproximadamente 90% da creatina do corpo é armazenada no músculo como creatina livre e fosfocreatina. A concentração de fosfocreatina diminui rapidamente após o início da atividade, levando à fadiga. Portanto, iniciar uma atividade com um alto estoque de fosfocreatina ajuda a melhorar o desempenho e recuperação.

 

Diferenças nos níveis de creatina no músculo, cérebro e sangue em vegetarianos X onívoros

As concentrações de creatina ou fosfocreatina foram medidas no cérebro, sangue, e no músculo através de biópsia ou usando ressonância magnética.

Em resumo, a pesquisa indica que as concentrações de creatina ou fosfocreatina são mais baixas em plasma, soro, glóbulos vermelhos e vasto lateral, mas não no gastrocnêmio lateral ou cérebro em vegetarianos em comparação com onívoros.

 

Metodologia da revisão

A pesquisa bibliográfica foi realizada no PubMed e SPORTDiscus, incluindo todas as datas até 18 de abril de 2020. Não houve restrições de idioma ou data e a suplementação utilizada foi creatina monohidratada.

Os resultados incluíram medições de creatina ou fosfocreatina nos músculos, sangue ou cérebro, medida de desempenho, massa de tecido magro, área de fibra muscular, hormônios anabólicos, transportador de creatina e desempenho cognitivo. O tipo de estudo incluiu ensaios clínicos randomizados (grupo paralelo e estudos cruzados) e estudos prospectivos.

Detalhes como o tipo de vegetariano/vegano e duração do vegetarianismo nem sempre foi relatado no estudo, aspecto importante para ser melhorado no futuro.

 

 

Resultados da revisão

O estudo deBlancquaert et al. avaliaram desempenho do exercício durante um teste incremental de ciclo ergômetro ao longo de 6 meses em grupos atribuídos a dieta vegetariana/ dieta onívora/ dieta vegetariana + 1 g de creatina / dia. Mas apesar das diferenças entre grupos para os níveis de creatina no plasma e músculo, nenhuma diferença foi observada entre os grupos, para desempenho do exercício. Considerando que o tipo de exercício é aeróbico não é um resultado surpreendente.

Watt et al. avaliou as mudanças no desempenho durante duas repetições de um teste de Wingate (ciclismo) de 30 segundos, separados por 4 minutos de repouso durante um estudo cruzado com 0,4 g de creatina / kg / dia ou placebo por 5 dias em 7 vegetarianos e homens onívoros. Apesar de um maior aumento na creatina total do vasto lateral em vegetarianos, tanto os vegetarianos quanto os onívoros aumentaram igualmente a produção de energia média durante o segundo teste com suplementação de creatina.

Shomrat et al. encontraram que onívoros podem ter uma ligeira melhora no desempenho anaeróbio comparado aos vegetarianos com suplementação de creatina. Em seu estudo, 7 vegetarianos do sexo masculino e 9 onívoros receberam 3 × 7 g de creatina / dia por 6 dias. A potência média de saída durante os testes de ciclo de 3 × 20 s Wingate (com recuperação de quatro minutos entre as sessões) foi aumentada em ambos os grupos suplementados, mas os onívoros tiveram um ligeiro aumento de 5% na potência de pico durante o teste.

Burke et al. foram os únicos a avaliarem atletas recreativos, que caminhavam, corriam, nadavam ou pedalavam regularmente e também tiveram de 1 a 5 anos de experiência em treinamento de resistência. Este estudo randomizou 18 homens e mulheres vegetarianos e 24 onívoros, masculinos e femininos, suplementados com 0,25 g de creatina / kg de massa de tecido magro / dia por 7 dias + 0,0625 g de creatina / kg de massa de tecido magro / dia por 56 dias ou grupos de placebo.

Durante a suplementação, eles criaram um programa de treinamento de resistência de alto volume (envolvendo uma divisão de três dias que treinou todos os principais grupos musculares ao longo dos três dias). Os vegetarianos que tomaram creatina tiveram um aumento maior no vasto lateral com creatina total e fosfocreatina do que outros grupos durante a intervenção. Isso se traduziu em um maior aumento na massa de tecido magro e maior capacidade de realizar o trabalho durante uma tarefa de resistência muscular envolvendo 50 repetições de exercícios máximos de extensão / flexão.

Benton et al. randomizou 70 mulheres vegetarianas e 51 onívoras com 20 g de creatina / dia ou placebo por 5 dias e descobriram que a memória era aumentada em vegetarianas suplementados com creatina, mas não em onívoras.

Rae et al. suplementaram 45 vegetarianos com 5g de creatina / dia ou placebo por 6 semanas em um estudo cross-over e descobriu que a memória de trabalho e a inteligência foram aumentadas com a suplementação de creatina em comparação com o placebo. Porém, ainda não foi testado em situação atlética.

 

Resumo dos resultados

Os vegetarianos tiveram aumento na creatina total, concentrações de creatina e fosfocreatina no músculo vasto lateral e gastrocnêmio, plasma, e glóbulos vermelhos, frequentemente em níveis maiores do que os onívoros.

A suplementação de creatina não teve efeito nos níveis cerebrais de fosfocreatina.

A suplementação de creatina aumentou a massa de tecido magro, fibra tipo II, fator de crescimento semelhante à insulina-1, força muscular, resistência muscular, potência média de Wingate, produção e função cerebral (memória e inteligência) em participantes vegetarianos.

 

Conclusão

Em geral, a suplementação de creatina tem a capacidade de aumentar o desempenho em vegetarianos e onívoros. E que atletas vegetarianos provavelmente se beneficiarão com a suplementação de creatina e/ou qualquer atleta com estoque baixo.

A maioria dos estudos revisados eram limitados por risco moderado a alto de viés, portanto, estudos futuros podem ser melhorados.

 

Referência

Kaviani M, Shaw K, Chilibeck PD. Benefits of Creatine Supplementation for Vegetarians Compared to Omnivorous Athletes: A Systematic Review. Int J Environ Res Public Health. 2020 Apr 27;17(9):3041. doi: 10.3390/ijerph17093041. PMID: 32349356; PMCID: PMC7246861.

 



Ver outros artigos

A relação entre o consumo de leite e o uso de terras
A relação entre o consumo de leite e o uso de terras

julho 28, 2021

A influência da suplementação de creatina no funcionamento cognitivo de vegetarianas e onívoras
A influência da suplementação de creatina no funcionamento cognitivo de vegetarianas e onívoras

julho 26, 2021

TRAIL RUN: UM ESTILO DE VIVER
TRAIL RUN: UM ESTILO DE VIVER

julho 21, 2021