0

Seu carrinho está vazio

Fôlego e Força Máxima: Diferenças entre Atletas de Resistência Vegetarianos e Onívoros

junho 07, 2021

Um estudo transversal, realizado nos Estados Unidos, comparou 43 atletas onívoros de elite de endurance e 27 atletas  vegetarianos, sendo 15 veganos. Participantes de ambos o sexos que treinavam para atividades como ciclismo, triatlo e maratona. O trabalho é significativo por seu maior rigor nas avaliações de medição na comparação de atletas vegetarianos e onívoros.

Os atletas foram avaliados usando teste de VO2 máximo na esteira e avaliação de força usando um dinamômetro para determinar o pico de torque para extensões de perna. O objetivo do estudo foi examinar a composição corporal e medidas de desempenho dos atletas que aderiram aos seus respectivos planos de dieta por pelo menos três meses. A composição corporal, incluindo adiposidade visceral, foi medida usando (DXA ou DEXA).

Metodologia e resultados 
1. A massa corporal foi significativamente menor para os atletas vegetarianos em comparação com os onívoros, entretanto, mais proeminentes entre atletas vegetarianas. Foram 7% menos de massa magra em comparação com as atletas onívoras. Apesar disso, não houveram diferenças significativas no percentual de gordura corporal, no tecido adiposo visceral e no IMC entre os grupos.

2. Não houveram diferenças significativas de idade ou gênero entre os grupos. 

3. Os vegetarianos tiveram significativamente vantagem no consumo máximo de oxigênio comparado aos onívoros. Esta diferença foi mais predominante em participantes do sexo feminino com uma pontuação de VO2 máxima 13% maior para as vegetarianas, em comparação as onívoras. O autor comenta sobre essa diferença de gênero intrigante e sugere uma investigação mais aprofundada em estudos futuros.
 

4. O pico de torque ao fazer extensões de perna não foi diferente entre os grupos. Digno de nota, pois não houve diferença significativa na ingestão de proteína em relação à massa corporal. Os vegetarianos consumiram em média 1,2 g por kg de peso, o que está na faixa recomendada para atletas. Mostrando que a ingestão de proteínas poderia ter influência se a ingestão tivesse sido inadequada.

5. A ingestão de nutrientes foi calculada apenas a partir de alimentos e bebidas, não incluindo suplementos. Não houve diferenças significativas na ingestão calórica ou ingestão total de gordura entre vegetarianos e onívoros. No entanto, os vegetarianos relataram significativamente mais carboidratos na dieta, ingestão de fibras e ferro. Onívoros consumiram mais proteína, gordura saturada, colesterol e vitamina B12.

Conclusão  
O estudo sugere que seguir uma dieta vegetariana pode contribuir para o desenvolvimento de força e aptidão cardiorrespiratória. Considerando que muitos fatores afetam o desempenho esportivo, estudos de intervenção maiores são necessários.


Referência
Lynch, Heidi M.; Wharton, Christopher M.; Johnston, Carol S. 2016. "Cardiorespiratory Fitness and Peak Torque Differences between Vegetarian and Omnivore Endurance Athletes: A Cross-Sectional Study" Nutrients 8, no. 11: 726. https://doi.org/10.3390/nu8110726

 



Ver outros artigos

UM RELATO DE UMA AVENTURA EM KONA, HAVAÍ
UM RELATO DE UMA AVENTURA EM KONA, HAVAÍ

outubro 13, 2021

3 RECEITAS RÁPIDAS DE LEITES VEGETAIS
3 RECEITAS RÁPIDAS DE LEITES VEGETAIS

outubro 06, 2021

DECIFRANDO OS RÓTULOS: TABELA NUTRICIONAL
DECIFRANDO OS RÓTULOS: TABELA NUTRICIONAL

outubro 05, 2021